quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Tanto amar!

Que o tempo me seja no mínimo favorável quando digo que esse mesmo não foi vão; e que esse ano todo que passou e quase completo, porém, que já está por se completar. Espero que seja consideradoo uma troca de conhecimento, uma troca de sonhos, uma comunhão de amor. Amor que não chegou ao fim, mas apenas pediu um tempo para respirar outros ares, esticar as pernas e relembrar como era mesmo que se fazia!

Eu não sei se faço um brinde comemorando o tempo, ou se lamento a passagem dele e o enlace de caminhos. Não sei se digo 'seja feliz' ou digo 'venha ser feliz'! Talvez seja medo, talvez angustia, talvez incerteza, ou apenas solidão.

Os sonhos nunca diminuiram porque a distância foi grande; o amor não acaba quando se põe um ponto final. Apenas não haverá mais uma troca de amor, o amor passa a ser só seu, como uma parte do seu corpo; e talvez isso possa acontecer... Aceitá-lo como parte de mim.

Deixo claro aqui que o amor não vai morrer jamais! E que 'você estando bem, fica tudo bem!'. E minha incerteza é um problema que plantei dentro de mim, e que não quero jamais envolver outrem nisso.

Quero deixar muito mais do que certo que minha incerteza não é quanto o que sinto; a minha incerteza é quanto o que eu quero. E a única certeza que eu tenho é que amo, e que meu defeito está em amar demais.

2 comentários:

Donald disse...

Nossa Ninaa!
Perfeeito!!!
xDD
Pireeiii...
Caasa comigo e vamos envelhecer juntos escrevendo lado a lado!?
Já tem um lugar só seu no meu coração Nina!

Angélica de Brito disse...

Perfeitooooo Cu!!
Há um tempo atrás faria suas as minhas palavras... ou ainda hoje o faria, não sei!